O Blog Fusca Branco

Eu resolvi abrir este blog para acompanhar todos os passos da restauração e da preparação do meu Fusca 69. As principais modificações ocorrerão no motor e na caixa, bem como nas suspensões dianteira e traseira, que já foram preparadas para performancee e serão apenas revisadas e repintadas. Os freios também foram modificados e serão a disco nas quatro rodas, mantendo a furação original "wide five".

Seja bem vindo.

30/05/2009

A Suspensão do Fusca - parte 2

Como disse que faria, sábado fui buscar a suspensão do Fusca que estava guardada na Icauto, a oficina do amigo Marcão. Cheguei muito cedo e olha a Icauto aí, fechadinha ainda.



Para fazer hora, fui tomar café com o amigo Gaúcho que mora ali perto.

Oficina aberta, aproveitei para tirar uma foto do Camaro Type LT 1974 do Marcão. Lindão.



Levei a suspensão para a MF Garage, onde vou executar o processo de reforma. Como ela estava muito suja, dei uma boa limpeza antes de iniciar o processo de desmontagem. Lavei-a com diesel e jato d'água.

Aqui foi logo que chegamos.



Nessa foto ela já está de banho tomado.



Vou retirar toda a tinta, devo usar removedor pastoso Wanda, quero deixá-la "no osso" para que o acabamento fique perfeito.

Detalhe do rotor, com a furação wide five, original da Fuca. Repare a pinça de freio em alumínio, é levíssima. Depois da desmontagem e da repintura isso vai ficar um brinco!



Essa suspensão foi desenvolvida para a Divisão 3, a barra estabilizadora é muito mais grossa que a original, as mangas de eixo são retrabalhadas, os rotores foram produzidos especialmente para essa configuração usando freios a disco. Ela também possui duas castanhas de regulagem de altura, além de outros detalhes.

Futuramente postarei mais sobre o processo de reforma dela.

08/05/2009

A Suspensão do Fusca

Eu sempre fui apaixonado pelos carros e pelas provas de Divisão 3. Acho que o nível de preparação daqueles carros e o visual me afetaram definitivamente. Então, a forma como eu enxergo um carro de rua modificado tem influência direta dos carros da D3: mais baixos, com seção de pneus mais larga, rodas compatíveis, pára-lamas alargados em alguns casos, e potência, muita potência.

Eis que eu comecei a pensar o que eu faria com o meu 69 branquinho. Um belo dia, conversando sobre o Fusca com um amigo (Ricardo Rocha) ele me perguntou:


-Você conhece o Luis Felipe?
-Quem??
-Luis Felipe, ex piloto, da antiga, ótimo preparador, principalmente de Fuscas.

Aí eu esfregando o queixo pensei: tenho que ir lá. Urgente. E fui...

Já com o Luis Felipe, após contar para ele o que eu estava pensando para o carro, ele me disse:
- Eu tenho uma "coisinha" que você vai gostar muito. E apontou com o dedo o fundo da oficina.
-Ah éhh?? E o que é?
- Vem cá.

E fui eu, mais curioso que político em dia de contagem de voto.

Mais ao fundo da oficina dele, estava repousada sob um cobertor, uma suspensão. Totalmente revisada, com 4 pinças de freio de alumínio (levíssimas), barras estabilizadoras mais grossas, trabalho nas mangas de eixo para pode usar o carro mais baixo, catraca dupla, discos perfeitos, furação 5x205mm (igual a original do carro!!), caster trabalhado, etc. Pronta, revisada. E ele me perguntou:

- Gostou? É uma legítima suspensão de Divisão 3, para Fusca. É minha, mas eu te vendo se você se interessar.

Eu quase caí duro!!! rs Comprei a danada. Óbvio.

Ela está guardada parte aqui na minha casa e parte na oficina de um amigo. Em breve a levarei para a MF Garage, que é o nosso "parquinho de diversões" aqui em Niterói, onde eu vou decapar e repintar toda ela, para aguardar a chegada da carroceria do Fusca da restauração.

Fotos em breve.



05/05/2009

Buscando o Fusca

Esse encargo ficou com o meu irmão Paulo. Na época ele tinha uma loja de manutenção de suspensão e troca de pneus em Vota Redonda, a Equipauto. O Fusca foi prá lá. Ficou guardado por um mês, aproximadamente, até que eu o mandasse para o restaurador.

Logo que pude, pois moro em Niterói-RJ, fui lá na Equipauto ver o Fusca. Olha, rever aquele carro não foi fácil. Eu vi meu avô. Senti a presença dele. Fiquei ali olhando os detalhes e matando a saudade.

O Paulo retirou o motor e desmontou. Os bancos foram guardados na casa da minha mãe, e lá estão. Algumas peças do motor foram guardadas dentro do carro.

A partir desse dia, comecei de fato a pesquisar qual tipo de trabalho seria feito no Fusca. Vou descrever num posto futuro.

Finalizando, mandei o carro para o Ricardo, um restaurador de automóveis de Volta Redonda, muito hábil. Já tem um bom tempo que eu não faço nenhum carro com ele, mas posso afiançar-lhe que o trabalho dele continua impecável. E ele vai ser o responsável pela recuperação completa da carroceria.


(Existem fotos, mas estão num micro que está com defeito. Assim que eu recuperar eu postarei.)